Paris: Bate-volta ao Palácio de Versalhes

DIA 15 DE SETEMBRO DE 2011

Elisa na entrada do metrô de Paris, na primeira parte da viagem

Elisa na entrada do metrô de Paris, na primeira parte da viagem

O dia amanheceu com céu azul e um sol brilhante incrível, ideal para nosso passeio pelos jardins do Palácio de Versalhes. Acordamos cedo e partimos antes das 9h da manhã para a estação de metrô mais adequada para as baldeações que precisaríamos fazer.

DICAAlgumas pessoas optam por comprar um pacote com transfer e ingresso até o Palácio de Versalhes. Eu acho que não vale a pena, pois é muito fácil ir por conta própria e ficar na mão de guias turísticos pode limitar muito o passeio. Basta seguir o caminho abaixo:

  • Confira antes nas máquinas da estação de metrô como comprar os bilhetes corretos de metrô e trem, que tem tarifas diferentes para zonas fora do centro de Paris. Outros detalhes e tarifas aqui.
  • Pegue o metrô até uma estação de conexão com o trem RER C (Réseau Express Régional) mais próxima. No nosso caso, fizemos a conexão na estação Champs de Mars (se não me engano). 
  • Pegue um trem da linha C em direção a estação Versailles-Rive Gauche. Atenção, pois nem todos os trens da linha C vão para a estação Versailles-Rive Gauche.
  • A última parte da viagem deve durar em torno de 30 minutos até a estação de trem, dando um total de aproximadamente 1h, dependendo do seu ponto de partida.

Quando fomos, em 2011, o trem era normal. No entanto, descobri através do blog Amantes da Ferrovia que os vagões de trem do percurso citado foram decorados para reproduzir a beleza de 7 diferentes áreas do palácio, como o salão dos espelhos, a galeria das batalhas e os aposentos de Maria Antonieta. A decoração dos vagões foi financiada pelo Palácio de Versalhes e é coberta por um filme plástico de alta tecnologia.

Isto deve tornar o passeio ainda mais interessante… eu não pude conferir. Se alguém puder confirmar esta informação e dar um testemunho, fique a vontade pra comentar lá embaixo!

Bom… depois do processo descrito acima, em torno de 1h estávamos desembarcando na cidade de Versalhes.

Nos arredores da estação de trem em Versalhes, rumo ao Palácio

Nos arredores da estação de trem em Versalhes, rumo ao Palácio

Descendo da estação, não tem mistério nenhum… além das placas que sinalizam muito bem a direção do Palácio, o fluxo de turistas vai te levar direto pra lá. Com uma pequena caminhada de 10 minutos, chegamos no Palácio de Versalhes, cuja entrada é marcada por um monumento enorme, esquisito, no meio da praça que leva aos portões principais.

Monumento esquisito na entrada do Palácio de Versalhes

Monumento esquisito na entrada do Palácio de Versalhes

Pra variar, mesmo chegando cedo, precisamos enfrentar uma fila que já estava começando a crescer. Do lado de fora do Palácio a gente já pode ver que o que nos espera será grandioso… Além do edifício enorme que tem uma extensão gigante que vai até onde a vista alcança, a entrada principal é feita com um enorme portão de ouro, que de baixo daquele sol brilhante, ficou ainda mais impressionante.

Elisa na entrada do Palácio de Versalhes - ao fundo os portões de ouro do Palácio

Elisa na entrada do Palácio de Versalhes – ao fundo os portões de ouro do Palácio

PROGRAME-SE: como a maioria dos museus pelo mundo, o Chateau de Versailles fecha para o público as segundas-feiras e em alguns feriados franceses. Maiores informações sobre preços, horários e algumas dicas no site do Chateau de Versailles. Na alta temporada o museu fica muito lotado e o próprio site recomenda que o turista não vá na terça-feira, finais de semana e evite o museu entre 9h e 15h. Você pode comprar o ingresso antecipado para evitar filas no site ou em lojas parceiras.

Contrariando a recomendação acima, começamos nossa visita pelo interior do Palácio, que conta com audio-guides em diversas línguas, inclusive Português (infelizmente, de Portugal). É fácil se perder dentro do Palácio, ouvindo as histórias de cada salão e cada galeria… como a quantidade de gente é muito grande, fica difícil se locomover dentro do Palácio e se der mole, você pode perder horas lá dentro.

Um dos salões internos do Palácio de Versalhes, apinhado de turistas

Um dos muitos salões decorados do Palácio de Versalhes, apinhado de turistas

Tudo é muito grandioso, rebuscadamente decorado e enfeitado… O famoso salão dos espelhos é sem dúvida um dos mais interessante do Palácio.

O famoso salão dos espelhos

O famoso salão dos espelhos ou “Galerie des Glaces”

Vista para os jardins externos, de dentro de dentro do Palácio

Vista para os jardins externos, de dentro de dentro do Palácio

Os aposentos reais são de uma riqueza impressionante e as camas não parecem terem sido feitas para abrigar um ser humano… é até difícil imaginar alguém dormindo confortavelmente em uma cama como esta:

Quarto real com uma de suas humildes camas

A humilde cama do quarto da rainha da França

Aposentos decorados do Palácio

Aposentos decorados do Palácio

O Palácio é enorme e a visita ao seu interior é bastante exaustiva. Quando saímos de dentro do Palácio já era mais de 12h  e estávamos super cansados.

Umas das muitas fachadas do Palácio, com seus detalhes em outro

Umas das muitas fachadas do Palácio, com seus detalhes em ouro

Logo na saída do museu existe uma lanchonete, mas eu não recomendo parar ali para almoçar, já que ao lado do lago existe um restaurante com um clima muito mais agradável para uma parada para o almoço. Então, se estiver morrendo de fome, resista a tentação…

Ali também fica a loja de souvenires, que também não é uma boa ideia pra quem ainda vai passar o dia inteiro caminhando…

Depois da visita ao museu, ficamos horas admirando os jardins do Palácio, que vão até onde a vista alcança e são verdadeiras obras de arte para serem admiradas a distância, com suas formas geométricas e cores. Espetacular!

Os coloridos jardins do Palácio de Versalhes

Os coloridos jardins do Palácio de Versalhes

As flores do Palácio de Versalhes

As flores do Palácio de Versalhes

Os jardins do Palácio são verdadeiras obras de arte em tamanho gigante

Os jardins do Palácio são verdadeiras obras de arte em tamanho gigante

Sentados ali em cima, admirando os jardins, abrimos o mapa que mostra os domínios do Chateau de Versailles e ficamos assustados… tudo isso que vemos nas fotos acima, forma uma parte minúscula do mapa, que parece ser impossível de ser explorado em um único dia.

Então escolhemos ali alguns lugares para visitar e descemos em direção a fonte da Metamorfose, em direção aos níveis inferiores.

DICA: Ficamos tão empolgados com a visão que se estendia a nossa frente, que não paramos para pensar que seria impossível conhecer tudo aquilo a pé. O ideal é alugar bicicletas ou carrinhos de golfe para poder explorar todo o terreno a vontade, pois depois que a empolgação acaba e o passeio termina, o retorno a porta de saída, a quilômetros de distância é desanimador.

As estradas e jardins do Palácio vão até onde a vista alcança

As estradas e jardins do Palácio vão até onde a vista alcança

Vista para a Fonte da Metamorfose

Vista para a Fonte da Metamorfose

A fonte Apolo, com suas criaturas saindo da água

A Fonte Apolo, com suas criaturas saindo da água

Vista para a fonte da metamorfose e ao fundo as escadarias do Palácio

Vista para a fonte da metamorfose e ao fundo as escadarias do Palácio

As estradas arborizadas nos domínios do Palácio

As estradas arborizadas nos domínios do Palácio

Uma parada para descanso e um pouco de sossego longe da turistada

Uma parada para descanso e um pouco de sossego longe da turistada

Quando a fome apertou, fizemos uma parada para almoço em um charmoso restaurante a beira do lago. O clima estava ideal para contemplação e ficamos ali almoçando tranquilamente, observando os patos, os jardins e as pessoas brincando no lago… sempre em companhia de um bom vinho, claro.

Almoço ao ar livre na beira do lago

Almoço ao ar livre na beira do lago

Após o almoço, uma parada para descanso na beira do lago, na companhia dos patinhos

Após o almoço, uma parada para descanso na beira do lago, na companhia dos patinhos

Fiquei com vontade de pegar um barco e conhecer o lago todo remando, mas tínhamos muita coisa pra ver ainda… Depois de descansar um pouco, partimos em direção ao Gran Trianon em uma longa caminhada. O Gran Trianon é um refinado conjunto de edifícios, que o Rei Luís XIV construiu para ser seu refúgio com sua amante Madame de Montespan. Ele usaria aquele “humilde” espaço para escapar de toda aquela pompa e formalidade da vida na corte.

Jardins do Gran Triannon

Jardins do Gran Trianon

O Castelo Gran Trianon visto dos jardins

O Castelo Gran Trianon visto dos jardins

Ainda há opção de um espécie trenzinho, que leva os turistas para conhecer o lado mais distante do Palácio, mas preferimos curtir a caminhada pelas estradinhas que levavam as outras atrações e por conta disso acabamos não conhecendo a Casa de Maria Antonieta, o Petit Trianon, que também deve valer a visita.

Vista para o Palácio de Versalhes, da beira de um dos lagos

Vista para o Palácio de Versalhes, da beira de um dos lagos

No finalzinho da tarde, retornamos a Paris, maravilhados com o que vimos no Chateau de Versailles, mas exaustos de todas as caminhadas. Neste dia paramos para jantar próximo ao Hotel.

De volta a Paris, durante o jantar

De volta a Paris, durante o jantar

Nos empolgamos com essa coisa de castelos e resolvemos agendar um passeio de 1 dia inteiro com uma agência que levaria a gente de ônibus para conhecer os principais Castelos do Vale do Loire.


Vai a Paris? Que tal comprar ingressos online para as principais atrações da cidade, pagar com desconto e ainda furar fila? Clique aqui e compre seus ingressos no TicketBar.


Este será o tema do próximo post, que vai estar cheio de lindas fotos de castelos medievais, palácios e jardins reais. Aguardem!

E se você também adorou conhecer o Chateau de Versailles ou está se programando para conhecê-lo, deixe aqui sua mensagem, dúvida ou pergunta, que será muito bem vinda!

Grande abraço!

____

Para conhecer todos os detalhes sobre o Roteiro Lua-de-mel em Paris 2011 clique aquiPara ver todos os posts deste roteiro clique aqui.

Anúncios

8 pensamentos sobre “Paris: Bate-volta ao Palácio de Versalhes

  1. Parabéns pelo post, estava na dúvida se iria visita-lo, agora quero muito. O meu problema é que fico apenas 3 dias em Paris, no meu ultimo dia está livre, pensei em ir para Versalles, porém meu voo é as 18h em Orly, será que dá tempo? Obrigada

    Curtir

    • Oi Franciele, muito obrigado pelo comentário!

      Respondendo sua pergunta, eu acho melhor não arriscar porque para aproveitar bem o Palácio você precisa de um dia inteiro. O Palácio em si é gigantesco e os jardins impossíveis de se conhecer em um dia só. Eu mesmo não vi quase nada comparado com o mundo que aquilo é!

      Dependendo da época do ano você pode enfrentar filas quilométricas e não vai dar tempo de ver nada… a correria vai ser grande e as chances de dar “xabu” e você perder o seu vôo são enormes!

      Para viagens internacionais eu gosto de fazer o check-in com 2 ou 3h de antecedência. No fim das contas você ficaria apenas com umas 3h ou 4h para ver tudo, contando as filas. Não vale a pena…

      Por que você não faz ao contrário? Se você quiser muuuuuito conhecer o Palácio de Versalhes, vá em um dia cheio e use este último dia para fazer alguma coisa dentro da cidade, com sua mala já pronta, check-out feito e malas aguardando no guardador do hotel.

      É uma opção, mas eu sinceramente usaria estes 3 dias para conhecer Paris com calma, porque vai ser pouco… e Paris, sozinha, é sensacional e merece todo o seu tempo.

      Abraço e boa viagem!

      Curtir

    • Oi Ana, o ingresso não tem hora marcada. Pode entrar em qualquer horário, mas eu recomendo chegar bem cedo, porque as filas podem ser gigantes e o lugar é bem grande…

      Se você chegar tarde, pode não ter tempo de ver tudo que quer la dentro e acredite em mim, não importa o tempo que você ficar por la, vc sempre vai deixar de ver muuuuuita coisa.

      Curtir

    • Olá Marcelo!
      A volta não tem mistério. Chegar na capital é sempre mais fácil, né?
      É só você retornar para mesma estação onde chegou e fazer o caminho inverso… você pode comprar o bilhete na hora e seguir a sinalização nas estações. que não tem erro.

      Abraço e boa viagem!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s